23/09 – Dia Internacional da Língua de Sinais

Hoje é comemorado o Dia Internacional das Línguas de Sinais. Mas você sabia que a língua de sinais não é universal? No Brasil, a Língua Brasileira de Sinais (Libras) é reconhecida como meio legal de comunicação, por isso, ela é fundamental para a comunidade surda.

Assim como as línguas orais, a variação linguística caracterizada pelo regionalismo está presente também nas línguas de sinais. Segundo o site Ethnologue: Languages of the World, existem mais de sete mil línguas faladas em todo o mundo. Dessas, mais de 140 são línguas de sinais oficiais, o que mostra como a cultura Surda é rica e precisa ser valorizada e reconhecida.

As variações das línguas de sinais são decorrentes de ligeiras diferenças culturais ou influências locais, além de envolver fatores que favorecem a diversidade da língua. Por isso, os Surdos também têm dificuldades, assim como os ouvintes, para se comunicar com pessoas de outros países.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em todo o mundo, existem mais de 466 milhões de pessoas com deficiência auditiva e cerca de 80% desse público se comunica exclusivamente por meio da língua de sinais.

Língua de sinais no mundo
Segundo o linguista americano William Stokoe, considerado o pai das línguas sinalizadas: “as línguas de sinais apresentam aspectos linguísticos de uma língua genuína, no léxico, na sintaxe e na sua capacidade de gerar infinitas sentenças e que deveriam ser pesquisadas e estudadas pela linguística”.

Poucas pessoas conhecem, mas existe uma alternativa à língua de sinais, análoga ao Esperanto. Apesar de não ser considerado uma língua, já que não possui uma gramática, o Gestuno utiliza os sinais com a gramática de qualquer uma das línguas de sinais existentes para permitir a comunicação entre Surdos. Também conhecido como uma linguagem auxiliar internacional, o Gestuno é usado em convenções e competições internacionais, visando estabelecer uma comunicação internacional.

Além de apoiar a comunidade Surda, a Serviir trabalha para o desenvolvimento de uma sociedade mais inclusiva. Para minimizar as diferenças e garantir a inclusão e a independência dos Surdos, a Serviir oferece uma solução que possibilita a comunicação entre Surdos e ouvintes de maneira simples e eficiente.

Independência é nossa palavra de ordem.

Fonte: Servir.com

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *